O que o comunismo fez na Rússia: Cabeças humanas vendidas em barraquinhas de mercado para canibais. Imagens chocantes mostram camponeses vendendo partes de cadáveres durante a fome na década de 1920, que forçou as famílias a comerem seus parentes


07.07.2018  -

n/d

Criança chorando num hospital de Samara. A foto foi exibida pela Missão Humanitária de Fridtjof Nansen em: Histoire des Soviets, por Henri de Weindel, França, 1922-23

Por Tariq Tahir

O desespero dos camponeses russos que enfrentaram a falta de alimentação durante a fome que assolou a Rússia nos anos após a revolução comunista é revelado por essas imagens chocantes de cabeças humanas à venda. Mais de cinco milhões de pessoas morreram durante a catástrofe, que começou em 1921 e durou até 1922.

Em uma foto, um casal fica solenemente em seus grossos casacos de inverno atrás de uma mesa carregada de partes de cadáveres de crianças, inclusive duas cabeças.

n/d

Um casal russo vende partes de cadáveres humanos num mercado. Povo da Rússia começou a comer e vender membros humanos devido à falta de alimentos durante a fome russa de 1921

O revolucionário comunista russo Vladimir Ilyich Ulyanov, mais conhecido como Lênin, estava no comando da Rússia desde 1917. Em um arrepiante desrespeito pelo sofrimento de seus conterrâneos, ele ordenou que toda a comida dos pobres fosse confiscada.

O Partido bolchevique de Lenin acreditava que os camponeses estavam ativamente tentando minar o esforço de guerra e, ao tirar a comida deles, a força deles foi reduzida.

n/d

Esta foto tirada em outubro de 1921 mostra crianças famintas no acampamento de Samara durante a fome na Rússia.

A fome pôde prevalecer com facilidade devido aos problemas econômicos causados pela Primeira Guerra Mundial, cinco anos de guerra civil e uma seca em 1921, que levou 30 milhões de russos a se tornarem desnutridos.

n/d

Um casal com seus filhos morrendo de fome durante uma fome na URSS, por volta de 1922

Quando Lênin declarou “deixe os camponeses morrerem de fome,” o resultado foi forçá-los a recorrer ao comércio de carne humana no mercado negro.

Acadêmicos russos têm pesquisado e catalogado exemplos de canibalismo e alimentação de cadáveres e, em um relato, descreveram como uma mulher se recusou a entregar o cadáver de seu marido porque ela o estava usando como carne para comer.

n/d

Esta foto tirada em 1921 mostra uma família atingida pela fome na região do Volga, na Rússia, durante a Guerra Civil Russa;

Os camponeses famintos eram vistos até mesmo desenterrando cadáveres recentemente enterrados para pegar sua carne, bem como comendo grama e animais que antes eram considerados animais de estimação.

A polícia não tomou medidas porque o canibalismo era considerado um método legítimo de sobrevivência.

n/d

Nesta foto tirada em outubro de 1921, crianças refugiadas atingidas pela fome são vistas na Rússia durante a Guerra Civil Russa.

Por fim, equipes humanitárias dos EUA e da Europa chegaram e em 1921 um deles escreveu um relato de embrulhar o estômago do que havia visto: “Famílias estavam matando e devorando pais, avós e crianças. Rumores medonhos sobre salsichas preparadas com cadáveres humanos, embora oficialmente negados, eram comuns. No mercado, entre vendedoras grossas xingando umas às outras, ouvimos ameaças de fazer salsichas de uma pessoa.

Outro agente humanitário relatou: “Famílias estavam matando e devorando pais, avós e crianças.”

Sob a manchete “Mãe vira canibal,” o jornal Mirror noticiou em 16 de janeiro de 1922: “A fome é tão aguda no distrito de Samara em Pugatjewsk que uma mulher na aldeia de Mokscha foi encontrada comendo o cadáver de sua filha.”

Outras imagens perturbadoras da fome mostram crianças sofrendo de desnutrição severa, seus estômagos inchados e quase todos os ossos do corpo visíveis.

Um dos lugares mais atingidos foi a cidade de Samara, situada na parte sudeste da Rússia europeia, na confluência dos rios Volga e Samara.

A ajuda de fora da Rússia foi inicialmente rejeitada por Lênin porque ele via isso como outros países interferindo.

O explorador polar Fridtjof Nansen chegou à cidade em 1921 e ficou horrorizado com o que viu — quase toda a cidade estava morrendo de fome.

Ele levantou 40 bilhões de francos suíços e estabeleceu até 900 lugares onde as pessoas poderiam obter comida.

Lenin acabou se convencendo a deixar agências internacionais de ajuda e Nansen foi premiado com o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços.

A American Relief Administration, que foi informada de que não poderia ajudar em 1919, teve acesso aos doentes e famintos em 1921 e forneceu grande ajuda junto com agências de ajuda europeias como a Save The Children.

Lenin morreu logo após a fome, em 1924, e foi substituído por Josef Stalin, que se tornou o líder da União Soviética.

Traduzido por Julio Severo do original em inglês do DailyMail: Human heads sold at the market stall for cannibals: Haunting images show Russian peasants selling body parts during 1920s famine that forced families to eat their relatives.

Fonte: www.juliosevero.com

 

Veja também...

Comunismo deixa rastro de cadáveres por onde quer que passe. Nas escolas e universidades, todos deveriam dizer: Sim, mataram cem milhões de pessoas

Video: A impunidade do Comunismo

Há 100 anos atrás, o Comunismo atacou a Igreja e o Mundo

Os comunistas que gostam do Papa Francisco. E vice-versa. Ele mesmo declarou que os comunistas pensam como cristãos

Francisco tem sangue nas mãos: Não é novidade que ele é um entusiasta de formas de socialismo. Ele jamais cobrou Nicolás Maduro pelo assassinato e prisão de estudantes e religiosos na Venezuela. E o silêncio diante da Igreja perseguida na Bolívia

Cardeal Reinhard Marx, presidente da Conferência Episcopal Alemã, elogia e defende o trabalho de Karl Marx, considerado o "pai" do comunismo

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
http://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne