Artigo do Padre José do Vale: A Bíblia da Falsa Profecia


26.10.2009 - “E surgirão falsos profetas em grande número e enganarão a muitos” (Mt 24,11).

Causou um grande escândalo um pastor pentecostal brasileiro vendendo uma Bíblia por R$900,00 em seu programa de televisão de cujo título é vergonhoso: “Bíblia de Batalha Espiritual e Vitória Financeira”. O pior de tudo isso é a falsa profecia de um pastor pentecostal americano que diz ter profetizado a crise financeira internacional. Com base nessa enganosa profecia foi editada e vendida essa tal Bíblia.
Como é terrível e de tamanha heresia, desrespeito e blasfêmia usar a Bíblia por interesse econômicos mentirosos.
Afirma o economista e ex-ministro Delfim Netto: “Os lucros exercem fascínio sobre o homem”.

Sobre a crise financeira diz Delfim Netto que é uma grande autoridade no Assunto:
“As crises são próprias do capitalismo. Nos últimos 150 anos, houve 42 crises. Umas maiores, outras menores. Esta foi diferente no sentido de que uma crise de omissão do Estado. Criou-se a mitologia de que o marcado era perfeito, resolveria sozinho qualquer problema. O mercado é um instrumento poderosíssimo, mas precisa de regras. Não há mercado sem Estado forte, justamente para garantir seu funcionamento. Não houve só um fracasso dos economistas. Houve um fracasso, na verdade, de orientação da teoria econômica.” (1).

A crise financeira internacional mal havia estourado, em outubro do ano passado, quando a escritora canadense Margaret Atwood lançava “Payback – Dívida e o Lado Sombrio da Riqueza”. Originalmente uma coletânea de cinco palestras tratando do endividamento sob a ótica da literatura, da psicologia, da teologia e até da ecologia, o livro foi um sucesso de crítica e de vendas, possivelmente impulsionadas pela situação da época.
Ela própria já havia escrito sobre o colapso financeiro na véspera da invasão do Iraque.
“A crise era certamente previsível e muitos a previram. Guerras, principalmente as que têm campanhas como a de Napoleão na Rússia, então entre as primeiras causas de endividamento das nações”, disse a escritora em entrevista ao Jornal Valor, durante a viagem à Europa para promover o último livro “O Ano da Inundação.” (2).

OS CÃES PASTORES

“Os ministros evangélicos têm desapontado e explorados as pessoas, provocando seu desvio”. Rev. Carroll Thompson- Pastor Americano

Os pastores que estão explorando e causando escândalo no cristianismo são os pregadores da teologia da prosperidade, batalha espiritual, G12, onda da titulação de apóstolos e profetas, onda gospel, pentecostalismo, neojudaísmo (práticas da antiga Lei judaica).
Esses pastores causam tantas heresias, cismas e desvio de milhares de pessoas que estas não querem saber mais de igrejas, Bíblia e de Deus por perderem a fé.
Esses pastores que só pregam curas, milagres, exorcismos, posse da bênção, sucesso, vitória e riqueza dos bens materiais, são gananciosos, materialistas e idólatras por dinheiro, poder e sexo.
O profeta Isaías chama esses pastores de: “Cães vorazes, gulosos, gananciosos e interesseiros” (Is 56,11.12).
São Paulo Apóstolo nos adverte contra esses falsos pastores: “Cuidado com os cães, cuidado com os maus operários” (Fl 3,2).
Esses pastores-cães não vão herdar o Reino de Deus: “Ficarão de fora os cães” (Ap 22,15).

CONCLUSÃO

Esses pastores não querem saber das questões sociais e nem ajudar os pobres. Sua visão é fatalista e a sua pregação e fundamentalista com seu apocalipcismo de fim do mundo.
Eles sabem da malícia que pregam e sabem que os tolos vão acreditar no seu engano.
Diz Provérbios: “O ingênuo acredita em tudo o que se diz” (Pr 14,15).
São João Apóstolo nos exorta contra os falsos profetas: “Caríssimos, não acrediteis em qualquer espírito, mas examinai os espíritos para ver se são de Deus, pois muitos falsos profetas vieram ao mundo” (1Jo 4,1).
Esses pastores são impiedosos, com seus enganos cooperam ainda mais para desgraça da humanidade.
Vejam o que afirma Jaques Diouf, diretor da FAO: “É com profundo pesar que vos anuncio que, pela primeira vez, teremos mais de um bilhão de pessoas que sofrerão de desnutrição, embora a riqueza e a produção de bens alimentares continue aumentando no mundo. O problema é político, pois consiste na injusta distribuição. Alguém repetirá: ‘É mais importante ensinar a pescar do que dar o peixe!’ não há dúvida, mas também não é menos verdade que, até lá, ‘é preciso manter os peixes vivos”.
O Banco Mundial anunciou, em 5 de outubro, que a crise econômica mundial pode levar cerca de 90 milhões de pessoas em países em desenvolvimento a entrarem no nível de pobreza extrema. Apenas em 2009, a crise gerou 100 milhões de pobres. O objetivo do alerta foi fazer com que as instituições continuem aumentando a ajuda esses países. Ao mesmo tempo, a Organização Nacional das Nações Unidas (ONU) assegurou que o crescente nível da pobreza mundial indica que a recuperação da crise não é iminente, como poderia ser imaginado.

Vamos levantar a voz profética da denúncia contra os falsos pregadores e todo sistema político e religioso de fraude e de opressão.

Pe. Inácio José do Vale
Especialista em Ciência Social da Religião
Professor e Pesquisador de Seitas
E-mail: pe.inaciojose.osbm@hotmail.com

Notas

(1) O Globo, 20/09/2009, p. 28.
(2) Valor, 02-04/10/2009, p. 22.

 

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
https://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne